Wi-Fi 6: conheça cinco benefícios do novo padrão de Internet sem fio
Informática

Wi-Fi 6: conheça cinco benefícios do novo padrão de Internet sem fio

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

O Wi-Fi 6 é o novo padrão de rede wireless. O upgrade promete ser mais rápido e mais seguro do que o atual, o Wi-Fi 5, também conhecido como 802.11ac. Trazendo uma nomenclatura mais fácil de entender, a novidade promete resolver problemas como a sobrecarga de pontos de acesso públicos, conferindo maior eficiência e desempenho aos usuários conectados.

LEIA: 'Truque' no roteador deixa seu Wi-Fi mais rápido

Embora o Wi-Fi 6 seja compatível com versões anteriores, o usuário precisa de um dispositivo com receptor atual para aproveitar todos os benefícios da tecnologia. Confira a seguir cinco melhorias que o padrão mais recente deve trazer para as conexões sem fio.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Mais velocidade

O novo Wi-Fi promete transferência mais rápida de dados. Caso o usuário possua um roteador wireless com um único dispositivo conectado, a velocidade potencial máxima deve ser até 40% maior com o Wi-Fi 6 em relação ao Wi-Fi 5. Isso é possível graças a uma codificação eficiente de dados, resultando em maior rendimento. Um exemplo prático é a capacidade que o novo padrão possui de armazenar mais dados na mesma quantidade de ondas de rádio. Além disso, os chips que codificam e decodificam esses sinais ficaram mais potentes e podem lidar com o trabalho extra.

A melhoria do Wi-Fi 6 pode ser notada tanto nas redes de 2,4 GHz quanto na faixa de 5 GHz. Vale lembrar que a frequência de 5GHz passou a ser utilizada por usuários que tentam fugir das interferências e da sobrecarga encontrada no 2,4 GHz. Apesar disso, a banda tem maior poder de distribuição mesmo em ambientes com muitos obstáculos.

2. Menos gasto de bateria

O Wi-Fi 6 dispõe de um novo recurso chamado “TWT” ou “Tempo de Despertar do Alvo”. A função é capaz de detectar quando o dispositivo conectado à rede está em repouso, assim como quando ele “desperta” para receber dados da conexão wireless novamente. Desse modo, os dispositivos “dormem” enquanto aguardam a próxima transmissão Wi-Fi. O resultado prático dessa função é que os smartphones, laptop e outros dispositivos habilitados para Wi-Fi 6 devem ter uma duração maior da bateria, já que há uma economia de energia durante o tempo de inatividade.

3. Melhor desempenho em áreas com alta demanda

A rede wireless tende a ficar debilitada em locais muito densos, com vários usuários e dispositivos conectados ao mesmo ponto de acesso, o que acontece em shoppings, restaurantes, aeroportos e até mesmo casas ou escritórios. Portanto, o Wi-Fi 6 promete solucionar esse problema. A ideia é dividir um canal de transmissão em vários outros subcanais, sendo cada um desses responsável por transportar dados destinados a dispositivos diferentes.

A melhora no desempenho foi alcançada graças ao recurso de Acesso Múltiplo por Divisão Ortogonal de Frequência (OFDMA, em inglês). Diferentemente do padrão anterior, a função permite não apenas ao ponto de acesso Wi-Fi emitir sinais para diversos dispositivos simultaneamente, mas também que os aparelhos respondam ao mesmo tempo.

4. Pontos de acesso públicos mais seguros

Com a nova tecnologia do Wi-Fi 6, será possível que os usuários se conectem a diferentes pontos de acesso públicos sem a necessidade de efetuar um login diferente em cada rede wireless. Depois de realizar a autenticação em um ponto, deve ser possível migrar de rede com mais facilidade e segurança. O projeto, chamado Open Roaming Consortium, trabalha com provedores de identidade e acesso, criando maneiras mais seguras de autenticar um mesmo dispositivo em diversas redes.

5. Melhor suporte para dispositivos inteligentes

Com maior desempenho e velocidade mesmo em locais com sobrecarga de dispositivos conectados em uma única rede, o Wi-Fi melhora a troca de dados entre o ponto de acesso e os dispositivos nele conectados. Na prática, isso pode significar que o novo padrão é capaz de oferecer um melhor suporte em locais povoados por dispositivos smarts, visto que todos eles precisam estar conectados à Internet para funcionar. Uma casa que dispõe, por exemplo, de tomadas, chuveiros, geladeira e câmeras de segurança inteligentes, terá uma conexão mais rápida e eficiente para dar suporte a esses aparelhos.

Via Digital Trends, How-To Geek, Techni Pages

Por que meu Wi-Fi parou de funcionar? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo