Tunai registra músicas inéditas em 'Caderno de lembranças'
Blog do Mauro Ferreira

Tunai registra músicas inéditas em 'Caderno de lembranças'

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Em 1979, a cantora Elis Regina (1945 – 1982) já tinha terminado de gravar o álbum Essa mulher quando recebeu canção de jovem compositor que abandonara o trabalho de engenheiro para se dedicar à música a partir de 1978.

Intitulada As aparências enganam, a canção seduziu Elis, a ponto de a cantora reabrir o então já fechado repertório do disco para gravar a música, que entrou no álbum Essa mulher no lugar de Velho arvoredo (Hélio Delmiro e Paulo César Pinheiro, 1976).

Com a gravação de As aparências enganam na voz referencial de Elis, começou para valer há 40 anos a carreira do cantor e compositor José Antônio de Freitas Mucci, o Tunai, autor da melodia cuja letra tinha versos de Sérgio Natureza, poeta que se tornaria parceiro frequente desse artista mineiro então já radicado no Rio de Janeiro.

Tunai, cabe lembrar, vem a ser irmão de João Bosco, cantor e compositor que se lançara na música em 1972 com o aval imediato de Elis.

Caderno de lembranças – álbum que Tunai lança neste segundo semestre de 2019 em edição independente, inclusive no formato de CD – dá a impressão, pelo título, de fazer revisão desses 40 anos de carreira do artista.

Só que o alto teor de novidade do repertório desmente essa impressão. Das 12 músicas, oito são inéditas em disco. Três são faixas-bônus de sucessos próprios e alheios, captados ao vivo. E uma, o blues-rock Bala perdida (2018), reaparece em versão radio edit, com um minuto a mais do que a gravação original lançada em single em maio do ano passado.

Gravado entre janeiro e março deste ano de 2019 na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com arranjos e direção musical do próprio Tunai, o álbum Caderno de lembranças apresenta músicas mais recentes – caso sobretudo de Solidão blues, feita no início deste ano de 2019 a partir de poema de Marcos Moussalen – com composições tiradas do baú, como a balada Nuances, criada por Tunai em 1979 com base em versos de poema da escritora Thaís Guimarães.

Da parceria recorrente com Sérgio Natureza, Tunai apresenta Maior que a vida, Caderno de lembranças – balada escolhida para dar nome ao álbum – e Mãe das mães, músicas compostas em 2008, 2010 e 2013, respectivamente.

O disco Caderno de lembranças também inclui o bolero Você olha (parceria com Claudio Rabello surgida em 2004), o samba Entre o anjo e a serpente (parceria com Carlos Colla, criada em 2008) e Vício de amar, música feita a partir de poema de Salgado Maranhão.

Caderno de lembranças é o primeiro álbum de músicas inéditas de Tunai em 15 anos, já que o anterior, Dança das cadeiras, foi lançado em 2004.