Sete curiosidades sobre brinquedos sexuais smarts que você não sabia
Informática

Sete curiosidades sobre brinquedos sexuais smarts que você não sabia

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Os brinquedos sexuais, acessórios voltados para o prazer, atualmente possuem versões smarts que permitem funções diferentes aos usuários. Entre os recursos encontrados neste tipo de aparelho estão a conexão sem fio, a iluminação própria e a interação com músicas. Porém, com mais tecnologia podem surgir mais dúvidas sobre os dispositivos. Por isso, o TechTudo listou sete fatos curiosos sobre as versões smart dos brinquedos sexuais e mostra como eles podem ser diferentes dos comuns.

LEIA: Seis coisas que os robôs sexuais vão poder fazer no futuro

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo.

1. Alvo de hackers

Já existem alguns brinquedos sexuais smart que podem acessar a Internet para permitir que parceiros interajam mesmo à distância. Mas, como todo dispositivo conectado, os brinquedos smart também são passíveis de ataques de hackers .

Como alguns dispositivos sexuais contam com câmeras, por exemplo, a questão de segurança e privacidade pode estar em risco. Por se tratar de um dispositivo que não oferece protocolos de segurança tão avançados, os brinquedos sexuais conectados à Internet também dão margem para que hackers invadam sua rede, dando acesso a outros aparelhos que estejam pareados com o objeto.

2. Podem ser controlados remotamente

Alguns brinquedos sexuais smart permitem que os usuários compartilhem o controle dos seus próprios equipamentos. A proposta é permitir que parceiros vejam e controlem a utilização dos dispositivos mesmo à distância, fazendo com que cada um dos usuários conectados se sinta mais próximo ao outro e possa interagir nos momentos de prazer.

3. Vibração de acordo com a música

Existem vibradores que podem seguir o ritmo de uma música e passam a funcionar de acordo com as frequências de cada canção. Escolhendo uma trilha sonora, o usuário pode reproduzir a vibração das faixas durante a utilização do objeto.

Um dos dispositivos capazes de realizar essa função é o “Crescendo”, fabricado pela marca MisteryVibe. Essa tecnologia, porém, não sai barata: o produto custa cerca de U$ 149 (R$ 585 em conversão direta e sem impostos).

4. Presença na CES 2020

A CES (Consumer Eletronics Show), uma das maiores feiras de tecnologia do mundo, anunciou na edição de 2019 que, a partir do ano que vem, vai mudar sua abordagem e passar permitir os brinquedos sexuais. Os equipamentos serão expostos na área de saúde e bem-estar do evento.

Em 2019, a feira foi alvo de polêmica quando retirou a premiação de inovação de um brinquedo sexual smart, mas depois voltou atrás e devolveu o prêmio ao vencedor. Essa postura dos organizadores da feira de incluir os “sexy toys” na próxima edição evidencia a tendência de que esses itens se tornem cada vez mais populares.

5. Proibidos em alguns países

Antes de colocar seus brinquedos sexuais na mala e sair pelo mundo em viagens, é importante que você observe que esse tipo de equipamento não pode entrar ou ser comercializado em alguns países.

Para evitar que você tenha problemas no setor de imigração, evite levar seus vibradores e afins para países como: Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Tailândia, Vietnã, Malásia, Índia e Ilhas Cayman. Antes de viajar, é interessante consultar junto aos serviços de imigração referente a possíveis restrições.

6. Aluguel de alguns modelos

Algumas empresas já oferecem o serviço de aluguel de bonecas sexuais, que são um artigo de luxo na categoria de brinquedos sexuais. Usuários que não estejam dispostos a investir o alto valor desse tipo de equipamento já contam com opções que permitem sua utilização por um certo período de tempo.

Duas empresas que estão despontando no segmento são a Lumidolls e a Vivant Dolls. Elas atuam nos Estados Unidos e Europa, respectivamente. A Lumidolls inclusive possui alguns estabelecimentos nos quais é possível usufruir dos produtos da empresa.

7. Realidade no país

No Brasil já é possível encontrar alguns brinquedos sexuais smart a venda. Porém, para ter uma maior variedade de opções, ainda é necessário recorrer a sites de importação. Um modelo que pode ser adquirido em terras brasileiras é o Vibratíssimo Little Want, que é importado exclusivamente pela Intt Cosméticos. O vibrador possui, dentre outras funções, o recurso de chamada de vídeo, e é compatível com os sistemas móveis Android e iOS. O vibrador smart pode ser adquirido pelo valor de R$ 800 diretamente no e-commerce da marca.

Polêmica: robô sexual. O que você acha de máquinas que substituem humanos? Comente no Fórum do TechTudo