Cidadania

Operação Acolhida já atendeu em RR mais de 880 mil venezuelanos

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Á VENDA: Este portal de notícias pode ser seu. Entre em contato

Ponto de chegada dos Venezuelanos, Pacaraima (RR) é também o ponto de partida da Operação Acolhida, iniciada em abril de 2018. É lá onde começam os primeiros atendimentos. No Posto de Recepção e Identificação, o imigrante recebe a assistência documental.

 

De acordo com o governo federal, nesses quase dois anos, foram mais de 880 mil atendimentos. Os estrangeiros também recebem orientação de saúde. Nesta etapa, ocorre a imunização:  mais de 330 mil doses de vacinas já foram aplicadas.

 

Os venezuelanos que não têm onde morar são encaminhados para 13 abrigos: 11 em Boa Vista e dois em Pacaraima, que somam 7 mil pessoas.

 

Outra ação é o Programa de Interiorização. Até dezembro de 2019, mais de 27 mil venezuelanos foram enviados para 24 estados brasileiros. Todos eles são acompanhados desde a saída de Roraima até as cidades de destino.

 

Nessa quinta-feira (16), no Palácio do Planalto, em Brasília, ocorreu a troca de comando da Operação Acolhida. O general Antonio Manoel de Barros assumiu o posto no lugar do general Eduardo Pazuello, que coordenava a Força-Tarefa Logística Humanitária da operação, desde 2018. A cerimônia ocorreu com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

 

O ministro da Defesa Substituto, tenente-brigadeiro do ar, Antonio Carlos Bermudez, destacou que a operação acolhida produziu resultados concretos o que gerou reconhecimento internacional.

 

A Operação Acolhida também lançou o site www.gov.br/acolhida para recebimento de doações da sociedade civil. Os recursos serão concentrados em um fundo de auxílio e gerenciados pela Fundação Banco do Brasil.