Guerrero não será liberado da seleção peruana por "política esportiva", diz jornal
internacional

Guerrero não será liberado da seleção peruana por "política esportiva", diz jornal

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

A Federação Peruana de Futebol (FPF) não pretende atender a súplica do Inter para liberar o centroavante Paolo Guerrero da próxima convocação. Ao menos, é o que diz o jornal peruano Líbero, em publicação nesta quarta-feira. Assim, o atacante não poderia defender o clube gaúcho no duelo de volta da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, em 4 de setembro.

O diretor executivo do Inter, Rodrigo Caetano, se reuniu na terça-feira com Agustín Lozano, o presidente da federação p, e oficializou o pedido para que o atacante não fosse convocado. Mas conforme a publicação, “uma fonte da FPF” adiantou que Guerrero não será liberado por “política esportiva”.

– Paolo Guerrero será chamado. Por política esportiva, não cedemos nenhum jogador. Se os brasileiros fazem seus torneios sem levar em conta as datas da Fifa, é problema deles – disse a fonte ao jornal.

Em contato com o GloboEsporte.com, o presidente da federação peruana disse que a decisão ficaria entre o técnico Ricardo Gareca e Guerrero. A convocação para a seleção do Peru deve acontecer em 23 de agosto.

Em outra frente, nesta quarta-feira o presidente do Inter, Marcelo Medeiros, e o vice de futebol Roberto Melo estiveram reunidos com o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, na sede da entidade, em Luque, no Paraguai. Durante o encontro, o caso de Guerrero foi colocado em pauta.

A diretoria colorada tenta sensibilizar a seleção peruana para a liberação do atleta. Entre os argumentos estão a confiança depositada pelo clube na contratação do centroavante e o suporte que Guerrero recebeu nos últimos oito meses de suspensão por doping. De volta, o atacante é o artilheiro da equipe com 11 gols em 17 jogos e comandou o Peru no vice da Copa América.

Ainda como argumento, Caetano também utiliza o técnico Tite como exemplo. O treinador da Seleção não deve convocar atletas de clubes brasileiros que estejam em fases decisivas da na Libertadores e Copa do Brasil.

A situação envolve os amistosos da seleção peruana nas próximas data Fifa. O Peru encara o Equador e depois o Brasil, nos dias 5 e 10 de setembro, respectivamente. O cronograma coincide não somente com a partida de volta contra o Cruzeiro, como também com o jogo de ida da final da Copa do Brasil, no dia 11 de setembro, caso o Inter avance.