Diniz defende departamento médico do São Paulo e cita evolução do time: "Pouco a pouco"
brasileirão série a

Diniz defende departamento médico do São Paulo e cita evolução do time: "Pouco a pouco"

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

O técnico Fernando Diniz foi obrigado a realizar as três substituições do São Paulo no empate contra o Bahia, nesta quarta-feira, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, por conta de problemas físicos de Pablo, Juanfran e Liziero. Os dois primeiros saíram com dores no adutor da coxa, e o volante com uma câimbra.

O departamento médico do São Paulo é alvo de críticas em 2019. Pablo, por exemplo, já sofreu três lesões diferentes durante a temporada e pode ser baixa novamente. Diniz, no entanto, defendeu os profissionais do clube.

– Às vezes as lesões acontecem e a gente quer achar culpado, mas não tem culpado. Ninguém sabe porque machuca muito ao certo. Às vezes é pelo jogador que não falou que estava sentindo, às vezes pelo treinamento. Apontar de uma maneira muito reduzida para o departamento médico acaba cometendo uma injustiça muito grande. O departamento médico do São Paulo tem profissionais muito qualificados – afirmou Diniz após o jogo.

+ Leia mais notícias do São Paulo

O atacante Pablo foi quem mais preocupou pela forma com que saiu de campo. Após colocar a mão na coxa, ele saiu de maca e chorando. Na zona mista após a partida, ele foi para o ônibus mancando e não quis falar com a imprensa.

Fernando Diniz, no entanto, não descarta o jogador para o clássico do próximo domingo, contra o Corinthians, no Morumbi.

– Vamos esperar. Não está descartado para domingo. Ele estava com uma dor no adutor. Achamos que reunia condições conversando com departamento médico. Vamos aguardar para ver se tem condições de jogar contra o Corinthians – disse.

As lesões atrapalharam o desempenho do São Paulo na partida. No primeiro tempo, o time demonstrou muito do estilo de posse de bola e passes pedido por Fernando Diniz. Na etapa final, com todas as baixas, porém, o time como um todo caiu de rendimento e pouco chegou ao gol do adversário.

– Vamos evoluir pouco a pouco. De treinos tivemos quatro ou cinco táticos. Estamos tomando cuidado com a carga. Tivemos de treinar um pouco o time para jogar como está jogando. Não adiantava não treinar. Se tivesse time redondo. Se não tivesse convocações e Arboleda fora, poderia reduzir carga de treinos. Na parte física não é o ideal. Teve de expor mais o time para ter mais conteúdo tático. Defendemos bem, tivemos chance de gols. Limitamos muito as chances do Bahia – analisou.

O resultado desta quarta deixa o São Paulo na quinta colocação do Brasileirão, com 40 pontos ganhos. O time se reapresenta nesta quinta-feira em treino fechado na Bahia.