Política

CPI da Prevent Senior na Câmara de SP pede indiciamento de 20 pessoas

Após aprovação pelos veradores, relatório final será encaminhado ao MP


Publicado em 04 de Abril de 2022 às 19:34 Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil - São Paulo (Ver Fonte)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Prevent Senior, na Câmara Municipal de São Paulo, aprovou hoje (4) o relatório final que pede o indiciamento de 20 pessoas por crimes cometidos nos hospitais da operadora de saúde durante a pandemia do novo coronavírus. Após essa aprovação pelos vereadores, o relatório será encaminhado para o Ministério Público.

Entre os indicados para indiciamento estão os irmãos Fernando Parrillo e Eduardo Parrillo, sócios-proprietários da Prevent Senior. Fernando foi acusado pelo crime de omissão de socorro: segundo a CPI, como proprietário da empresa, ele teria negado atendimento médico mais adequado ao paciente com covid-19.

Já em relação a Eduardo há a mesma acusação de omissão de socorro, além dos crimes de perigo para a vida ou saúde de outrem e crime contra a humanidade, pois ele teria promovido pesquisas em seres humanos sem aprovação e desrespeitando as normas legais.

Além dos proprietários, os vereadores pediram indiciamento de diretores da empresa e médicos. O relatório, de 50 páginas, aponta 52 crimes relacionados às ações da empresa durante a pandemia de covid-19. Os pedidos de indiciamentos estão relacionados principalmente aos crimes de perigo para a vida ou saúde de outrem, omissão de socorro, crime contra a humanidade e falsidade ideológica.

O relatório final da CPI ainda propõe ações fiscalizatórias e investigativas por parte da prefeitura, do Ministério Público, da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) e da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) sobre a situação fiscal, trabalhista e operacional da empresa.

Em nota, a empresa contestou o relatório e as sugestões de indiciamentos, mas reafirmou “ter total interesse em que investigações técnicas, sem contornos políticos, possam restabelecer a verdade dos fatos”. A empresa disse ainda que continuará “trabalhando para prestar atendimento de excelência aos mais de 550 mil beneficiários".

Histórico

A CPI da Prevent Senior foi criada em setembro de 2021 para apurar denúncias de subnotificação do número de casos de contaminados e de óbitos por covid-19 por parte da operadora de saúde. Uma das suspeitas é de que, para diminuir a quantidade de registros, a Prevent Senior teria agido para que pacientes com covid-19 não tivessem a doença anotada em seus prontuários.

Nos casos de morte, a informação também não constaria dos atestados de óbito. A CPI também apurou denúncias de uso indiscriminado e experimental do kit covid, um conjunto de medicamentos sabidamente ineficazes contra a covid-19. A CPI investigou ainda a realização de pesquisas sem autorização dos pacientes ou dos órgãos competentes.

Edição: Denise Griesinger