Audiência na Alesc discute bloqueio no orçamento da UFSC
Santa Catarina

Audiência na Alesc discute bloqueio no orçamento da UFSC

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Estudantes, professores e servidores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) participaram de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), em Florianópolis, na tarde desta segunda-feira (16). Na oportunidade, foram discutidos os bloqueios feitos pelo Ministério da Educação (MEC) no orçamento da universidade.

A audiência foi promovida pela Comissão de Educação, Cultura e Desporto (CECD) da Assembleia Legislativa. Segundo o secretário de Planejamento e Orçamento da UFSC, Vladimir Arthur Fey, se os valores não forem desbloqueados a universidade não funcionará até o final do ano.

O representante da Associação de Pós-Graduação da UFSC (APG) Iago Mendes Guimarães declarou que é importantes que os deputados federais assumam uma posição política para interferir na situação das universidades federais.

De acordo com a Alesc, os participantes da audiência pediram o desbloqueio dos valores, o fim do programa Future-se, a manutenção das bolsas atuais, o reajuste e ampliação do programa de bolsas, o arquivamento do projeto da reforma da previdência, a revogação do teto dos gastos públicos, o apoio ao movimento grevista dos alunos e o respeito à autonomia da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).

Greve estudantil

Os estudantes da UFSC decidiram entrar em greve. Eles são contra o bloqueio de verbas feito pelo Ministério da Educação (MEC) e contra o programa Future-se. A assembleia dos alunos ocorreu na tarde de terça-feira (10). Os alunos pedem o desbloqueio das verbas.

A assembleia e votação desta terça ocorreram em uma tenda montada na frente do prédio da Reitoria no campus de Florianópolis. Somente estudantes participaram.

Medidas de contenção

No dia 29 de agosto, o reitor, Ubaldo Balthazar, apresentou à comunidade acadêmica medidas estudadas pela instituição para conter ainda mais gastos. O objetivo é acomodar os bloqueios de verba anunciados pelo MEC. "Se continuar no ritmo que está, nós vamos, quando muito, até o final de setembro. Depois pode até funcionar, mas precariamente", declarou.

Rejeição ao Future-se

Na terça-feira (3), em reunião ampliada do Conselho Universitário (CUn) foi decidido que a UFSC não vai aderir ao programa "Future-se" do Ministério da Educação (MEC). A manifestação institucional, aprovada por maioria, afirma que o contexto atual de medidas de bloqueio e cortes de verbas, além da "absoluta ausência de diálogo" trouxe incertezas quanto aos reais benefícios do Future-se e muitas dúvidas sobre os impactos acadêmicos que o programa pode trazer.

Veja mais notícias do estado no G1 SC