Ativistas bloqueiam entradas do Salão do Automóvel de Frankfurt
Auto Esporte

Ativistas bloqueiam entradas do Salão do Automóvel de Frankfurt

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Ativistas bloquearam neste domingo (15) entradas, incluindo a principal, do Salão do Automóvel de Frankfurt (IAA) em um protesto contra o que chamaram de "destruidores do clima e do meio ambiente" produzidos pela indústria automobilística. Esse é o terceiro dia que o evento é alvo de manifestações.

Centenas de pessoas vestindo roupas de proteção brancas sentaram ou ficaram paradas em pé em frente a duas entradas do evento. Os manifestantes levavam cartazes com inscrições como "desapropriar montadoras" e "as ruas estão ocupadas chegou a hora de mudar o transporte". Alguns dos participantes circularam de bicicleta em volta do prédio da feira, causando também obstruções.

Segundo os organizadores do ato, os protestos visam interromper o IAA com bloqueios pacíficos. "Estamos assumindo uma posição clara contra o sistema de transporte destrutivo que é defendido pelo maior salão do automóvel do mundo", afirmaram.

Os manifestantes defendiam ainda a proibição de carros em cidades, o transporte público gratuito e criação de ciclovias. "Uma mudança real para um transporte ecológico não é compatível com os interesses econômicos do lobby da indústria automobilística", ressaltaram os organizadores do protesto.

De acordo com a polícia, os protestos foram pacíficos. Apenas algumas discussões entre manifestantes e visitantes da feira foram registradas. Os organizadores do Salão do Automóvel de Frankfurt pediram que os visitantes evitassem as entradas que foram bloqueadas.

Esse foi o terceiro dia de protestos no Salão do Automóvel de Frankfurt. Na abertura da feira para o público, no sábado, cerca de 25 mil pessoas, segundo os organizadores, participaram de uma manifestação para exigir que ao setor automobilístico assuma sua responsabilidade como indústria poluidora do meio ambiente. A polícia registrou, porém, 15 mil manifestantes.

Na quinta-feira, participantes do movimento ambientalista Fridays for Future e ativistas do Greenpeace promoveram um ato de protesto dentro da IAA no momento em que a chanceler federal alemã, Angela Merkel, visitava a feira. Manifestantes invadiram o estande da Volkswagen e subiram nos carros, portando cartazes com a inscrição "Klimakiller" (assassino do clima).

Montadoras apresentam os novos modelos no IAA, que foi aberto por Merkel. Durante a visita ao local, a líder alemã elogiou os esforços do setor para o desenvolvimento de tecnologias neutras em termos de emissões que causam o aquecimento global.

Ambientalistas, porém, criticam as montadoras pela demora de iniciar a transição da mobilidade eletrônica, por investirem cada vez mais em carros que consomem muito combustível, como as SUVs, e por se esquivarem das responsabilidades pela poluição do ar, especialmente devido emissões causadas por veículos movidos a diesel.