Análise: Corinthians reage bem após susto, dá resposta à Fiel e ganha confiança para semifinal
corinthians

Análise: Corinthians reage bem após susto, dá resposta à Fiel e ganha confiança para semifinal

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Se o Corinthians precisava de uma vitória para dar uma resposta à torcida após as cobranças e conseguir se fortalecer antes de decidir vaga à final da Copa Sul-Americana, conseguiu.

A vitória na Arena sobre o Bahia, por 2 a 1, deu um gás a mais para o Timão antes da partida contra o Independiente del Valle, nesta quarta-feira, em Quito, no Equador. Na ida, perdeu por 2 a 0 e desencadeou protestos da principal torcida organizada, que apontou "falta de raça".

A insatisfação da Fiel, endossada pelo discurso de Vagner Love, se transformou em melhora do futebol alvinegro em relação ao último jogo. Dos pés do centroavante, inclusive, saiu o primeiro gol do jogo – de pênalti. O segundo veio com Clayson, em momento-chave da partida.

+ Leia mais notícias sobre o Corinthians

Primeiro tempo de resposta

O Corinthians começou a partida mostrando que seria uma noite para dar resposta às críticas. Com todos os jogadores brigando por praticamente todas as bolas, o Timão terminou a etapa inicial com menos posse de bola (45%), mas mais perigoso: foram cinco chances reais de gol e 11 finalizações.

Pedrinho, mais uma vez, mostrou-se o mais criativo da equipe, com Ramiro sumido pelo meio-campo. Assim, o Corinthians chegou muito pelos lados, nos dribles do meia-atacante pela direita e nos chutes (todos sem sucesso) de Clayson pela esquerda.

Méritos a Vagner Love, que, isolado no ataque, conseguiu converter pênalti com qualidade, e de Ralf, que invadiu bem a área no lance que terminou em bola na mão de Juninho. Sornoza, distribuindo bem o jogo, também contribuiu.

Segundo tempo emocional

Na etapa final, o Corinthians conseguiu mostrar poder de reação em momento crucial do jogo. Depois de gol marcado por Gilberto, de pênalti, time e torcida pareceram sentir o golpe. Foram necessários 11 minutos para Pedrinho fazer boa jogada e Clayson assegurar a vitória.

Embora nenhuma das alterações tenha surtido efeito positivo (Jadson, Janderson e Gustagol), o Corinthians acabou o jogo sem grandes sustos e mostrou-se mais ofensivo em relação às últimas apresentações. Muitas vezes, inclusive, com marcação alta no ataque.

No Equador, controlar as emoções e saber reagir diante de situações adversas será determinante pra o Corinthians tentar a virada. A partida contra o Del Valle promete ser bem mais complicada que o jogo do último sábado.

Os números finais do Corinthians no duelo contra o Bahia:

  • 42% de posse de bola
  • 15 finalizações
  • 6 chances reais de gol
  • 15 bolas levantadas
  • 209 passes certos
  • 14 passes errados
  • 21 desarmes
  • 15 roubadas de bola