Senadores dos EUA afirmam que não confiam no plano do Facebook de lançar uma criptomoeda
Tecnologia

Senadores dos EUA afirmam que não confiam no plano do Facebook de lançar uma criptomoeda

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

O vice-presidente do Facebook, David Marcus, responsável por coordenar o lançamento da libra, a criptomoeda da rede social, prestou depoimento nesta terça-feira (16) ao Senado dos Estados Unidos. Ele também responderá ao Comitê Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados na quarta-feira (17).

Marcus respondeu a questões de senadores céticos e preocupados com as intenções da libra, que se propõe revolucionar os sistemas de pagamentos e transferência de dinheiro. Os legisladores mostraram preocupação também com o passado recente do Facebook, permeado por escândalos de privacidade e vazamentos de dados.

A libra é um projeto de moeda digital do Facebook lançada em junho, que pretende ofertar soluções como pagamentos e transferências financeiras por meios digitais. Um dos exemplos seria enviar dinheiro para alguém fora do país pagando poucas taxas e fazendo isso por uma mensagem do WhatsApp, que também pertence à empresa de Mark Zuckerberg, junto do Instagram.

Marcus, que já foi um executivo da empresa de pagamentos digitais PayPal, foi escolhido por Zuckerberg para lider os esforços da libra.

Após o lançamento, a ideia da moeda foi recebida com certa controvérsia entre economistas e órgãos públicos globais, como o G7, que criou um grupo de trabalho para averiguar a libra. O presidente do Fed, o banco central dos EUA, Jerome Powell também afirmou que a moeda levanta "preocupações sérias" e até o presidente Donald Trump

Já na abertura da audiência, o executivo foi recebido com insatisfação dos parlamentares. O senador democrata Sherrod Brown afirmou que a rede social é "perigosa" e alertou que era preciso olhar para o histórico do Facebook.

"Seríamos loucos se dessemos uma chance a eles de fazer experimentos com as contas bancárias das pessoas, usando ferramentas que eles não entendem, como política monetária", disse Brown.

Os senadores voltaram, durante a audiência, a discutir temas que assombraram o Facebook no último ano como a disseminação de boatos, a interferência russa nas eleições de 2016 e o vazamento de dados, como o escândalo Cambridge Analytica.

A senadora Martha McSally afirmou que não confia no Facebook e criticou a empresa que "ao invés de arrumar a própria casa" está tentando começar um novo modelo de negócios.

Em defesa da empresa, Marcus reconheceu os erros do passado do Facebook e afirmou que a rede social não irá seguir adiante com o projeto até que todas as preocupações regulatórias fossem esclarecidas.

"Por que logo o Facebook, dado os últimos anos, deveria fazer isso [lançar uma moeda digital]?", questionou o senador Chris Van Hollen. Marcus respondeu afirmando que a empresa "não deveria sentar e esperar enquanto tem recursos e talento técnico".