Rei da piscina! Gabriel Medina conquista o bi no Surf Ranch e assume a liderança do mundial
mundial de surfe

Rei da piscina! Gabriel Medina conquista o bi no Surf Ranch e assume a liderança do mundial

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Kelly Slater pode até ser o dono/criador da piscina, mas quem "manda" nas ondas artificiais de Lemoore é Gabriel Medina. Pelo segundo ano consecutivo, o brasileiro dominou a máquina. Chegou próximo da perfeição para superar Filipe Toledo e vencer a única etapa do circuito mundial disputada fora do mar. E, assim como em 2018, o bicampeão mundial sai dos Estados Unidos com a camisa amarela de número 1 do mundo.

- O sentimento é demais. Foram longos 3 dias. Esses caras são os melhores do mundo. Estou muito feliz com a minha performance nesse evento. São pontos muito importantes - comemorou Medina, que agora soma 44.695 pontos no ranking, contra 44.400 de Filipinho.

Depois de conquistar o título em Jeffreys Bay e o vice em Teahupoo, Medina chegou à terceira final seguida no circuito cheio de moral. Foi o melhor na fase classificatória e, na decisão, faltou um juiz der um 10 para vir a nota perfeita. Veio o 9,93, a maior nota das duas edições do Surf Ranch, e a vitória por 18,86 pontos. Filipe Toledo, vice no ano passado, e australiano Owen Wright ficaram empatados com 17,33, mas o brasileiro levou a melhor por ter a maior nota (9,63).

A final

Os 8 finalistas entram com as notas zeradas da fase classificatória. Cada um tinha direito a pegar 4 ondas (duas direitas e duas esquerdas). Os atletas que conseguissem as 4 maiores pontuações (na soma da melhor esquerda e com a melhor direita) ganhariam mais duas ondas (uma direita e uma esquerda) de bônus para tentarem melhorar o resultado final.

E foram os australianos que começaram dando show. Primeiro Julian Wilson fez a maior nota do campeonato até então (9,33), com um aéreo Gork Flip bem alto na esquerda. Depois Owen Wright assumiu a liderança com duas notas altas (8,70 e 8,63). Filipe Toledo veio na sequência com tudo. Na primeira direita, fez dois aéreos, sendo o último um Alley-Oop alto e com a aterrissagem perfeita: 9,63, o novo recorde do campeonato até então. Com um 7,70 na esquerda, Filipe empatou com Owen em 1º.

Mas ainda faltava o atual bicampeão mundial e atual vencedor da etapa entrar em ação. Medina simplesmente acertou 3 aéreos na primeira esquerda. Os dois últimos - um Reverse e um kerrupt Flip - nas alturas. Faltou um juiz der um 10 para vir a nota perfeita. Veio o 9,93, que somado com um 8,93 na onda seguinte para a direita, garantiu a 1ª posição provisória para o brasileiro com 18,86 no total.

Restou a Medina esperar Filipe e Owen pegarem as duas ondas de bônus, mas nenhum dos dois conseguiu trocar nota. E, pelo segundo ano seguido, Gabriel vestiu a bandeira do Brasil e transformou as duas últimas ondas em um desfile de campeão.

Americana vence no feminino

A americana Lakey Peterson conquistou o título do feminino com um total de 18,03 pontos. A francesa Johanne Defay fez 17,60 e ficou em segundo, enquanto as brasileiras Tatiana Weston-Webb (5º) e Silvana Lima (9º) ficaram fora da decisão.

A próxima etapa começa no dia 3 de outubro, em Hossegor, na França.