Propriedades recebem correção de solo antes do próximo plantio da soja em RO
Rondônia Rural

Propriedades recebem correção de solo antes do próximo plantio da soja em RO

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Produtores rurais de Rondônia iniciaram a preparação do solo que vai receber o plantio da próxima safra de soja. Em todo o estado, o tratamento do solo é feito nesta época do ano, quando ocorre o o vazio sanitário e fica proibido qualquer plantio nas propriedades.

A calagem é uma das técnicas utilizadas na preparação, ou seja, quando o calcário é colocado na terra.

Ricardo de Souza trabalha em uma fazenda que já está focada no plantio da soja, em Rio Crespo (RO), no Vale do Jamari. Na propriedade gerenciada por ele, pelo menos 3 mil hectares de solo estão sendo preparados para receber as sementes.

Ao Rondônia Rural, o engenheiro agrônomo Ricardo Branco explicou o objetivo da calagem antes do plantio dos grãos.

"O que a gente busca é neutralizar, corrigir essa acidez que há na terra", afirma.

De acordo com o engenheiro agrônomo, a utilização do calcário é um procedimento simples, mas importante para aumentar a produtividade. O cultivo no campo em grande escala passa pelo tratamento do solo.

Ricardo presta assistência para produtores e diz que, para iniciar o tratamento da terra com a aplicação de calcário nas lavouras, é preciso estar "munido" do análise do solo, sempre com o auxilio de um técnico.

Com o resultado da análise do solo, o especialista vai definir a quantidade de calcário que será distribuída na terra. Na propriedade em Rio Crespo, segundo o especialista, serão usadas três toneladas de calcário por hectare.

O trabalho daqui pra frente será com uma máquina para fazer a gradagem na área que vai receber as sementes.

Começo do plantio

O plantio da próxima safra de soja deve começar a partir de 15 de setembro, quando termina o período do vazio sanitário exigido pela Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron).

O vazio sanitário é realizado com objetivo de diminuir e controlar a ferrugem asiática, umas das principais pragas dessa lavoura. Essa ferrugem é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhiz

No estado, o vazio sanitário atinge mais de 300 mil hectares de área, segundo a Idaron.