Pepê antes de Ludmila: conheça a história dor e força por trás da atacante da seleção brasileira
esporte espetacular

Pepê antes de Ludmila: conheça a história dor e força por trás da atacante da seleção brasileira

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Por trás de um sorriso largo, está escondida uma força de quem escolheu se lançar ao ataque. À primeira vista, Ludmila não aparenta o que carrega por traz do seu olhar. A primeira Copa do Mundo para a atleta que se considera escolhida. Não pelo técnico Vadão ou pela ex-técnica Emily, que a ajudou nos primeiros passos profissionais. Uma escolha que vai além da técnica.

- O futebol que me escolheu - diz a atacante.

A escolheu e a salvou de um destino poderia se desenhar bem mais duro. E que, sem dó, levou um pedaço dela mesma. Deixou um vazio e uma dor que, através dos gramados, ela supera a cada dia. A irmã inseparável, Sheila, morreu há três anos.

+ Confira a tabela da Copa do Mundo Feminina

Pepê e Neném

Em City Jaraguá, no conjunto habitacional onde foi criada, ela é conhecida somente como Pepê. Era uma referência a dupla ''Pepê e Neném''.

Ela era a Pepê. Sheila, sua irmã e fiel escudeira nos tempos difíceis, a Neném. Sheila faleceu há três anos após se envolver com drogas.

- Perdi uma parte de mim. Me dói muito pelo modo que ela se foi. A gente via as pessoas morrendo. Ela não mereceu isso. Minha irmã era importante para mim. Era um anjo - disse a atacante da seleção.

Aos 24 anos, a atacante Ludmila disputa sua primeira Copa do Mundo. Atualmente, joga no Atlético de Madrid e é vista como uma das principais promessas da nova geração.

A Seleção estreia na Copa do Mundo da França neste domingo, contra a Jamaica, às 10h30 (de Brasília). A partida será transmitida pela TV Globo, SporTV, além de transmissão e tempo real no GloboEsporte.com.