Os ministros da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, da Saúde, Marcelo Queiroga, e da Cidadania, João Roma, durante apresentação dos médicos que irão reforçar o atendimento à população nas áreas afetadas pelas chuvas no estado da Bahia.
© Marcelo Camargo/Agência Brasil
Saúde

Médicos embarcam para reforçar saúde primária na Bahia

No total, serão 119 profissionais que atuarão no estado


Publicado em 03 de Janeiro de 2022 às 11:36 Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil - Brasília (Ver Fonte)

Um grupo de 23 médicos, do Programa Mais Médicos, chega à Bahia na manhã desta segunda-feira (3) para ajudar vítimas das enchentes que atingem o estado. Em entrevista à imprensa antes do embarque, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que, até dia 10, o total de profissionais do programa atuando na Bahia chegará a 119. O grupo vai atuar na atenção primária em cidades que decretaram estado de calamidade pública.

Queiroga e os ministros da Cidadania, João Roma, da Mulher, e da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, também embarcaram para a Bahia em um avião da Força Aérea.

Em relação ao período que os profissionais de saúde ficarão no estado, Queiroga disse que será "o tempo necessário". O ministro afirmou que pode chegar a um ano.

A ministra Damares Alves destacou que "a prioridade do governo federal é garantir as vidas". A ministra lembrou que, na Bahia, além de ter que enfrentar águas contaminadas, as vítimas das enchentes ainda precisaram enfrentar casos de violência contra a mulher, o que exige participação da pasta que ela comanda.

O ministro da Cidadania afirmou que viu cidades completamente destruídas com água até o teto. Roma lembrou os pedidos "desesperados" dos prefeitos que além de verba, precisavam de pessoal para ajudar no socorro.

Boletim

Segundo o último boletim divulgado na tarde de ontem (2) pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), os números referentes à população atingida pelas enchentes que ocorrem em diversas regiões do estado, são 32.594 desabrigados, 57.451 desalojados, 25 mortos e 517 feridos. O número total de atingidos chega a 661.508 pessoas.

Os números correspondem às ocorrências registradas em 165 municípios afetados. É importante destacar que, desse total, 153 estão com decreto de situação de emergência.

Bolsonaro

O ministro Queiroga também falou sobre o estado de saúde do presidente da República, Jair Bolsonaro, que foi internado na madrugada de hoje em São Paulo com dores abdominais. "O presidente, como vocês sabem, foi vítima de um atentado gravíssimo em 2018. Em função disso, ele tem consequências. Ele teve dores abdominais, achou-se por bem levá-lo ao hospital em São Paulo. Mas, até onde eu sei, o presidente está bem", afirmou.

Edição: Valéria Aguiar