Free Fire no Brasil: curiosidades sobre o competitivo do Battle Royale
Esports

Free Fire no Brasil: curiosidades sobre o competitivo do Battle Royale

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Free Fire Battlegrounds, Battle Royale com download grátis para celulares Android e iPhone (iOS), está cada vez mais forte no cenário competitivo. O circuito oficial do game conta com eventos regionais e um Mundial, que está indo para a sua segunda edição. No Brasil, o game mobile publicado pela Garena já conta com campeonatos relevantes, como a Pro League, grandes organizações de esports, jogadores destaques e até mesmo uma entidade profissional. Veja, a seguir, cinco curiosidades sobre o competitivo de Free Fire no país.

Free Fire travando? Veja como melhorar o desempenho do jogo no celular

Gigantes de olho

Os times brasileiros têm atraído grandes organizações de esports. Os dois times campeões da Free Fire Pro League Brazil se transferiram para orgs tradicionais após os títulos conquistados. Em abril, a Tropa M3C foi adquirida pela RED Canids, que contratou os jogadores Gustavo ''Finnaker'', Weliton ''Alemao'', Carlos ''Kadu'' e Pedro ''Madanza''. Já em agosto, foi a vez da New X ganhar uma nova casa. Vgzinnn, Vnzinnn, Ubita, Gerty, Anon, Vitinnn, Coronel e GGEasy acertaram a mudança para a paiN Gaming.

Recorde de audiência

A final da segunda temporada da Free Fire Pro League bateu o recorde de audiência até então vigente no YouTube Brasil. Durante as finais presenciais da segunda temporada, a transmissão atraiu 763 mil espectadores simultâneos, maior marca envolvendo streams brasileiras na história da plataforma. Para efeito de comparação, o canal oficial da Garena ultrapassou tranmissões como Corinthians x Racing (438 mil), Debate Presidencial (381 mil), Santos x River Plate (341 mil) e Felipe Neto mostrando a sua nova casa (315 mil).

Free Fire já foi processado pelo PUBG? Entenda no Fórum do TechTudo

MVP do Mundial

O MVP do primeiro Mundial de Free Fire foi brasileiro. Ariano ''Kronos'', na época jogador da GPS Veteranos, apresentou performances acima da média, acumulou 6562 de score e foi coroado o melhor jogador da Free Fire World Series, faturando US$ 2 mil (R$ 7,9 mil) em premiações individuais. A equipe brasileira chegou à última rodada com chances de conseguir o título, mas ficou com 1375 pontos e na 6ª colocação. Kronos está atualmente na Vivo Keyd.

Mundial no Brasil

Comprovando a popularidade do jogo no Brasil, a segunda edição do Mundial de Free Fire será realizada no Rio de Janeiro. No dia 16 de novembro, os melhores times do planeta se enfrentarão no centro de convenções Riocentro em busca do troféu. A competição distribuirá US$ 400 mil (R$ 1,59 milhão) em premiações. A primeira temporada da Free Fire World Series foi disputada na Tailândia com a presença das organizações brasileiras RED Canids e GPS Veteranos. EVOS Capital, da Indonésia, é a atual campeã do torneio.

Entidade própria

Em junho, 12 times se reuniram para criar a National Free Fire Association (NFA), entidade cujo objetivo é fomentar o desenvolvimento competitivo do jogo no Brasil. Fazem parte da associação equipes como INTZ, VIVO Keyd, B4STARDOS, Game Over, Suicide Squad e 4K Easy, além de streamers famosos como Hunter Godbr e Weedzão. A instituição é responsável por organizar competições no país como a Liga NFA e a Liga Feminina NFA.

Via Free Fire Pro League e Free Fire World Series

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo