Economia

Fazer as refeições em casa durante o carnaval ajuda a economizar, diz coordenador da FGV

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Á VENDA: Este portal de notícias pode ser seu. Entre em contato

A inflação dos produtos e serviços mais consumidos no carnaval ficou em 4,29% entre fevereiro de 2019 e janeiro deste ano, um pouco acima da inflação do período medida pelo Índice de Preços ao Consumidor, da  Fundação Getúlio Vargas,que teve variação foi 4,13%. Os preços dos produtos subiram 6,55% em 12 meses e os dos serviços, 2,10%.

 

O economista André Braz, coordenador do IPC da fundação, salientou que os serviços mais demandados nessa época do ano, como refeições fora de casa e bebidas, não avançaram muito acima da inflação.

 

Os primeiros itens evoluíram 3,64% e bebidas, como a cerveja e o chope, aumentaram 4,33%.

 

Já as passagens aéreas compradas com antecedência caíram 7,56%. Para quem optar por usar ônibus interurbanos, o aumento observado foi de 1,58%, muito abaixo da inflação média.

 

Segundo ele, de um modo geral, os itens mais consumidos no carnaval não pressionaram a inflação.

 

Hotelaria, com avanço de 3,9%, também não mostrou ser um desafio para o bolso dos consumidores. Por outro lado, a pesquisa identificou aumentos de 4,97% e 6,54% em medicamentos para fígado, analgésicos e antitérmicos, respectivamente, que costumam ter maior procura nessa época do ano.

 

De acordo com o economista, fazer as principais refeições em casa, como almoço e jantar, é uma boa estratégia para poupar dinheiro no Carnaval. Em relação à bebida alcoólica, a recomendação é que o folião leve duas latinhas consigo e complemente o consumo durante os desfiles dos blocos.

 

Braz destaca que dividir as despesas com os amigos  é sempre uma boa  forma de economizar durante a folia.

 

Com informações da Agência Brasil, da Rádio Nacional no Rio de Janeiro, Cristiane Ribeiro.