Especialista dá dicas sobre cultivo de orquídeas na Tecnoshow 2019, em Rio Verde
Goiás

Especialista dá dicas sobre cultivo de orquídeas na Tecnoshow 2019, em Rio Verde

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Durante a Tecnoshow 2019, o orquidófilo José Narcizio de Oliveira ministrou uma palestra sobre como cuidar bem desse tipo de planta, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Segundo ele, o cultivo delas é recomendado até de maneira terapêutica.

Conforme o especialista, as plantas são definidas por terem três pétalas e três sépalas, que são conjuntos de pétalas geralmente menores. De acordo com com ele, cada uma das 35 mil espécies tem uma particularidade no cuidado.

As plantas variam também no preço na hora de vender. As mais baratas podem ser achadas por R$ 25 enquanto as mais caras são vendidas a R$ 250. Em outros países, como Japão, Narcizio lembra que há mudas criadas em laboratório que podem custar até R$ 7 mil.

O cultivador Jacque Douglas Furquim, de 50 anos, disse que começou há poucos meses a investir nas orquídeas. De todos os detalhes e delicadezas no trato de cada planta, ele ainda acha o mais difícil a falta de dados confiáveis.

“Vim aqui justamente para saber mais sobre as orquídeas e pegar uma boa orientação. Tem muita informação desencontrada por aí. As pessoas ensinam muita coisa errada por não saber mesmo”, comentou.

Ele disse que já tem cerca de 250 plantas e as vende em Rio Verde, onde mora. Para ajudar pessoas como Jacque, o orquidófilo Narcizio deu algumas dicas para quem quer começar a se aventurar na arte de plantar orquídeas.

“A primeira coisa importante é ser curioso. tem que perguntar de onde veio, se é de lugar frio ou quente, quantas vezes pode molhar. Tem plantas de altitudes diferentes e todas exigem adubo, exposição ao sol e água“, comentou.

O orquidófilo disse que é preciso aguar as plantas geralmente a cada dois ou três dias. Também recomenda o uso de um adubo mais simples a cada duas semanas e um mais forte para ser trocado a cada três meses.

“A orquídea precisa de luz indireta diariamente. se não for possível, que seja a luz do início da manhã e do fim da tarde, que são mais fracas. Todas também precisam ficar em áreas com bastante ventilação”, alertou.

De acordo com ele, o vaso ideal para o cultivo dessas flores é o de cerâmica, que permite que a água escoe bem. No entanto, os mais comuns são os de plástico, usados por quem cultiva as flores em grande escala.

Outro grande truque para ter um orquidário é paciência. Para a semente geminar, a planta nascer e finalmente começar a dar frutos podem se passar até 7 anos.

“Depois daí algumas florescem uma vez ao ano, outras o ano todo - bastando podar no local certo ao fim de cada ciclo de floração. Recomendo como atividade complementar para o produtor rural. Um hobbie mesmo. Às vezes num dia muito quente você entra no orquidário e está fresquinho. Muitas vezes usa isso como terapia. Cuidar das plantas deixa a pessoa não ficar tão ansiosa”, observou.

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.