Depois de sobreviver ao furacão Dorian, menino de 3 anos é recebido na escola com abraço coletivo dos colegas
Olha que legal

Depois de sobreviver ao furacão Dorian, menino de 3 anos é recebido na escola com abraço coletivo dos colegas

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

O pequeno Makai Simmons, de apenas 3 anos, recebeu um presente bem simples, mas muito legal, na segunda-feira (9). Ao voltar às aulas na escola que frequenta, na Flórida, ele foi recebido com um abraço coletivo dos coleguinhas.

A mãe do menino publicou um vídeo do momento no Instagram, e a filmagem já tinha recebido quase 15 mil curtidas até esta quarta (11). No vídeo, o garotinho chora e alguém diz "nós sentimos sua falta!" ao fundo.

"Eles vieram e o abraçaram e o apoiaram", disse a mãe de Makai, Tekara, à rede de televisão americana CNN."Realmente me tocou, sabe, é disso que eu precisava."

A mãe do menino contou à CNN que cresceu nas Bahamas e tenta voltar lá em feriados - como foi o caso da segunda-feira, 2 de setembro, que marcou a folga do Dia do Trabalho nos Estados Unidos. Ela viajou a Freeport na esperança de evitar o furacão - que ia em direção à costa da Flórida.

"Em vez disso, veio diretamente para minha ilha, onde estavam minha família inteira, meus amigos e meus entes queridos", disse Tekara.

O Dorian deixou 50 mortos, centenas de desaparecidos e cerca de 70 mil pessoas desabrigadas nas Bahamas, conforme levantamento divulgado na terça-feira (10).

Tekara, de 22 anos, disse que já havia passado por furacões antes, mas que este havia sido "horrível".

"Este foi absolutamente devastador e fiquei aterrorizada, especialmente com meu filho lá", disse Tekara.

Eles sobreviveram ao Dorian, mas a casa em que estavam inundou. A moça tirou uma foto de Makai parado ao lado da linha de água dentro da casa - que quase chega à altura do peito do garotinho.

Makai se refere ao furacão como o monstro, porque era assim que o vento lhe parecia, disse Tekara. A família dela perdeu muita coisa, mas "são itens materiais", narrou a moça. Ela é grata por ter sobrevivido com a família.

Eles retornaram à Flórida no sábado (7), depois de deixarem a ilha de Grand Bahama em um navio de um cruzeiro, que tirou bahamenses do país de graça.

Depois de sobreviver à ira do Dorian, testemunhar o momento em que as crianças abraçaram seu filho foi um momento especial, afirmou a moça.

"Meu país inteiro está em um ponto de devastação tamanho", disse Tekara. "Isso me fez sentir realmente amada e importante."