Cultivo de oliveiras aumenta quase 60 vezes em 12 anos no Rio Grande do Sul
Globo Rural

Cultivo de oliveiras aumenta quase 60 vezes em 12 anos no Rio Grande do Sul

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

O Brasil não é um grande produtor de azeitonas. Mas o Rio Grande do Sul tem registrado um aumento expressivo no cultivo das oliveiras. Entre 2006 e 2018, o número de hectares plantados aumentou mais de 56 vezes, passando de 80 para 4.500 hectares.

A colheita acontece entre fevereiro e março. No estado gaúcho, o cultivo das oliveiras é feito por 200 agricultores de 65 cidades. Os frutos são processados em 24 agroindústrias, que, muitas vezes, ficam dentro das propriedades, para facilitar o processo e ter uma extração de melhor qualidade.

O clima tem ajudado no desenvolvimento das azeitonas, com verão prolongado e inverno com muitos dias frios.

De acordo com o produtor José Alberto Aued, a expectativa é boa já para a próxima safra.

“Nós estamos num ponto maravilhoso em que as nossas árvores estão absolutamente carregadas. E, como a oliveira produz no crescimento do ano anterior, nós já podemos olhar para as nossas árvores hoje e ver que o próximo ano nós teremos também uma bela colheita”, conta.

A previsão para este ano no estado é de uma produção em torno de 160 mil litros de azeite, número bem superior aos 58 mil litros processados no ano passado. Ainda assim, 98% do azeite consumido no Brasil é importado.