Cinco curiosidades sobre Amaru e Goyo, novos operadores do Rainbow Six
Jogos de ação

Cinco curiosidades sobre Amaru e Goyo, novos operadores do Rainbow Six

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Rainbow Six: Siege (R6), jogo de FPS da Ubisoft disponível para Xbox One, PS4 e PC (Steam), recebeu a Operation Ember Rise no dia 11 de setembro com dois novos operadores. Amaru e Goyo, do Peru e México, respectivamente, serão desbloqueados para compra para todos os jogadores essa semana. Os novos agentes elevam o time de personagens do R6 a 50 operadores e, assim como seus outros companheiros, têm histórias de sucesso profissional em seus países que os levaram a se juntar aos operadores do game. Confira, abaixo, cinco curiosidades sobre os agentes.

Rainbow Six de 1998 ao Siege: veja evolução do jogo de tiro da Ubisoft

Amaru é antropóloga

A personagem peruana começou sua carreira profissional como uma antropóloga focada em preservar os bens culturais de seu país. Ela passou um período servindo a Polícia Nacional do Peru, mas após alguns anos retomou seu trabalho na antropologia. Frustrada com os frequentes roubos de itens culturais importantes, todos realizados pelo tráfico de antiguidades, Amaru passou a adotar técnicas de guerrilha para combater os cartéis. Ela viveu por mais de 20 anos na selva realizando esse trabalho antes de ser convidada para fazer parte do time de Rainbow Six.

A peruana vem de uma família de exploradores

A família de Amaru tem um histórico de exploração colonial. Seu bisavô desapareceu durante uma expedição à uma cidade perdida mais de um século atrás e a esperança da família de reencontrar o patriarca fez com que Amaru se transformasse em uma pessoa muito forte e bem humorada, mesmo em momentos difíceis.

Como montar um PC gamer que rode jogos em 4K ou ultra acima de 60 fps? Confira no Fórum TechTudo

Goyo e Amaru se conhecem desde a infância dele

Quando o mexicano Goyo era criança, houve um bombardeio em sua cidade que matou seu pai e irmã e feriu sua mãe. Nessa época, quando ele tinha 11 anos, a mãe dele pediu a ajuda de Amaru para treinar Goyo, a fim de transformá-lo em um adolescente que estivesse pronto para qualquer situação e também para mantê-lo longe de outros meninos da sua idade que estavam envolvidos com drogas. O treinamento deu certo, já que Goyo foi estudar na Escola Militar Naval.

O mexicano trabalhou com a UNESCO

Em um esforço coletivo entre a UNESCO e a INTERPOL, Goyo trabalhava para combater o tráfico de antiguidades. Ele iniciou esse trabalho após fazer parte das Forças Especiais de seu país e perceber que o tráfico de drogas não era o único meio utilizado pelos cartéis para ganharem dinheiro. Foi nessa luta para proteger itens culturais importantes que ele chamou a atenção da equipe de Rainbow Six.

Os dois agentes têm um forte vínculo

Por se conhecerem desde a infância de Goyo, Amaru e ele são muito próximos. Segundo a biografia da agente, o único motivo para ela sair da selva e aceitar fazer parte da equipe de R6 foi para que ela pudesse passar mais tempo com seu amigo.

Via Ubisoft

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo