Usina de Angra 3
© Eletrobras/Divulgação
Geral

Chuvas não comprometem operação de usinas em Angra, diz Eletronuclear

Usinas Angra 1 e Angra 2 estão funcionando normalmente


Publicado em 03 de Abril de 2022 às 17:41 Por Léo Rodrigues - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro (Ver Fonte)

A Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras responsável pela operação das usinas em Angra dos Reis (RJ), mantém suas operações normalmente após as fortes chuvas que caíram sobre a região da Costa Verde, no estado Rio de Janeiro. Segundo nota divulgada nesta tarde (3), não há comprometimento do plano de emergência externo, documento que fixa os procedimentos de evacuação em caso de necessidade.

Na hipótese de um acidente nuclear, todos os moradores em um raio de 5 km das usinas precisariam deixar suas casas. O plano de emergência externo prevê que eles sejam levados para abrigos situados a, pelo menos, 15 km de distância.

Para a Eletronuclear, não há riscos. Segundo o órgão, as usinas Angra 1 e Angra 2 estão funcionando normalmente em sua plena capacidade e, mesmo que houvesse um acidente considerado improvável, o plano de emergência externo poderia ser implementado integralmente.

A preocupação em torno da viabilidade de se fazer uma eventual evacuação de moradores foi manifestada mais cedo pelo prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão. Pelas redes sociais, ele informou que solicitaria ao governo federal o desligamento temporário das usinas nucleares, uma vez que havia diversas obstruções na rodovia federal BR-101, em decorrência do temporal. "Estamos ilhados! Em caso de necessidade, não teremos como colocar em prática o plano de emergência", explicou.

Chuvas causam mortes

As chuvas que atingiram o estado do Rio de Janeiro desde a noite de sexta-feira (1º) deixaram ao menos 15 mortos. Os bombeiros ainda buscam desaparecidos. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de mais chuva até amanhã pela manhã (4).

Só em Angra dos Reis, já foram confirmados oito óbitos e outros seis foram registrados em Paraty. Ambas as cidades se situam na Costa Verde, região litorânea do sul do estado, onde foi sentido o maior  impacto das chuvas das últimas horas.

A BR-101, rodovia que dá acesso a esses municípios, foi bastante afetada. Segundo informou no início da tarde a Defesa Civil Nacional, há 23 pontos interditados devido a quedas de árvores e deslizamentos de terra. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) alerta que há muita instabilidade entre Mangaratiba (RJ) e Ubatuba (SP). "A orientação é de não acessar mais a rodovia, pois o trecho só chegará perto de ser normalizado dentro de alguns dias", alertou o órgão em suas redes sociais.

A Eletronuclear, no entanto, assegura que as obstruções verificadas na BR-101 estão fora das zonas de planejamento de emergência previstas no plano de emergência externo. Na nota divulgada, o órgão também diz que os abrigos preparados para receber moradores em um eventual acidente não sofreram impactos com o temporal. "A ação poderia ser realizada com total eficácia", acrescenta o texto.

A Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen), órgão regulador e fiscalizador do setor nuclear brasileiro, também emitiu uma nota avaliando a questão. “Apesar da situação decorrente das condições meteorológicas na região de Angra dos Reis, até o presente momento não há comprometimento das vias de acesso do entorno da central que pudessem impactar na execução do plano de emergência”, diz o texto.

Edição: Kleber Sampaio