Cetesb analisa água de rio após morte de 70 toneladas de peixe no interior de SP
São José do Rio Preto e Araçatuba

Cetesb analisa água de rio após morte de 70 toneladas de peixe no interior de SP

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Técnicos da Cetesb estiveram no Rio Barra Mansa nesta quinta-feira (11) e devem voltar ao local nesta sexta-feira (12) para recolher água em vários pontos do rio. A intenção é analisar o que causou a morte de 70 toneladas de peixes no local, 40 apenas em uma piscicultura em Sales (SP).

Os técnicos recolheram amostras de água em pontos diferentes como no rio em Sales, Mendonça e na prainha de Adolfo. A água será analisada para tentar descobrir o motivo da mortandade de peixes.

Os resultados das análises devem ficar prontos nas próximas semanas e a orientação da Cetesb, enquanto isso, é que as pessoas evitem o contato com a água e a pesca no local. O Rio Barra Mansa é um afluente do Rio Tietê.

Nesta sexta-feira, funcionários de uma piscicultura voltaram para o local para retirar as 40 toneladas de peixes mortos dos 100 tanques no Rio Barra Mansa, em Sales. O trabalho começou nesta quinta-feira e deve durar ainda toda a sexta-feira.

Além da piscicultura, grande quantidade de peixes apareceu mortos também em Mendonça, na prainha de Adolfo e em Ubarana, no Rio Tietê. A Polícia Civil e a Polícia Ambiental estão investigando os motivos da mortandade.

Prejuízo de R$ 1 milhão

O piscicultor Walter Cícere disse à TV TEM que a mortandade de peixes começou depois que percebeu uma mudança na água do rio, na terça-feira (9). Na manhã desta quinta-feira a criação toda apareceu morta. Segundo ele, algo em torno de 40 a 50 toneladas de tilápias.

“É só em um pedaço do rio, não é o rio todo. Para baixo não tem peixe morto, mas para cima do rio tem muito peixe morto também. Eu calculo um prejuízo de R$ 1 milhão”, afirma.

A Prefeitura de Sales está ajudando o piscicultor com tratores e caminhões para a retirada dos peixes mortos.

Veja mais notícias da região em G1 Rio Preto e Araçatuba