Cauã Reymond relembra momento inesquecível durante 'Avenida Brasil': 'Minha filha nasceu no meio da novela'
Famosos

Cauã Reymond relembra momento inesquecível durante 'Avenida Brasil': 'Minha filha nasceu no meio da novela'

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Sete anos depois, ainda tem um pouco de Jorginho na vida de Cauã Reymond. O ator incorporou algumas características do jogador de futebol, seu personagem em Avenida Brasil, fenômeno de audiência no Brasil e no exterior. Reprisada em 'Vale a Pena Ver de Novo', o artista relembra que, na época, o clima de alto-astral tomou conta do elenco e, nos bastidores, era só alegria:

"Todo mundo construiu uma ligação muito forte, um trabalho intenso, principalmente para os protagonistas. Quando se faz um produto que é um megassucesso, o clima acaba sendo melhor. No caso de Avenida Brasil, era bem gostoso, todo mundo estava feliz. Foi um fenômeno para quem participou."

Foi também durante as intensas gravações, em 2012, que ele viveu um dos dias mais importantes de sua vida: o nascimento de sua primeira filha, Sofia, fruto de seu relacionamento com Grazi Massafera:

"Minha filha nasceu no meio da novela e acho que tudo isso ficou mais marcante. Claro que, anos depois, sou outro profissional. Muitas chaves mudaram para mim como ator durante a novela, e trabalhar com grandes colegas me fez amadurecer muito e continuar meu crescimento."

Para desestressar

Se na novela, Jorginho dava um show em campo como atleta do Divino, bairro fictício criado pelo autor João Emanuel Carneiro, na vida real, Cauã confessa que futebol nunca foi seu forte:

"Nunca joguei bola bem, sempre fui o goleiro da escola e nem era o primeiro a ser escolhido. Teve até um certo momento que comecei a jogar futebol direitinho. Fiz aula no Centro de Futebol Zico e com o Cláudio Adão, ex-jogador e craque que jogou no Flamengo e em vários clubes. Evoluí muito."

Como qualquer jogador "raiz", ele também começou a ouvir o ritmo preferido dos atletas:

"Comecei a entender mais do universo do pagode, do boleiro. O que ficou disso foi a curiosidade pelo futebol. Gosto muito e estou sempre lendo, principalmente sobre as partidas internacionais. É um tema que estou sempre curioso e checando para ver o que está acontecendo. Quando tenho tempo assisto. O assunto foi uma forma que encontrei de me desestressar."

Feliz com o destaque do personagem, ele só agradece as oportunidades que teve na TV:

"Fui muito sortudo ao longo da minha carreira. Fiz personagens e novelas que ficaram no imaginário das pessoas, como Cordel Encantado, em que vivi o Jesuíno; Amores Roubados e Justiça. Criei uma relação forte com o público por vários papeis. Fora do Brasil, principalmente na América Latina, sou muito lembrado por Jorginho. Avenida é a novela mais vendida no mundo."