3,3% dos cursos de faculdades privadas tiveram conceito máximo no Enade 2018
Educação

3,3% dos cursos de faculdades privadas tiveram conceito máximo no Enade 2018

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Na edição de 2018 do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), só 3,3% dos cursos de faculdades privadas conseguiram atingir o conceito máximo. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na manhã desta sexta-feira (4), de 7.276 cursos de instituições particulares, só 240 ficaram com o conceito 5. Já entre as instituições públicas, essa taxa sobe para 20,3%.

O cálculo considera as instituições particulares com ou sem fins lucrativos, que somam 7.259 cursos, e inclui 17 cursos de instituições especiais (que são estaduais ou municipais, mas não são gratuitas, e contaram com 807 estudantes no exame).

Já o grupo de instituições públicas inclui 1.244 cursos de universidades e institutos gratuitos das redes federal, estaduais e municipais.

Considerando todos os 8.520 cursos, menos de 6% deles tiveram conceito 5, percentual semelhante ao registrado nos cursos avaliados em 2017. Segundo o Inep, outros 301 cursos ficaram sem conceito no Enade 2018.

Entenda o Enade 2018

  • O Enade é o exame aplicado pelo governo federal aos estudantes "concluintes", ou seja, que estão no último ano da graduação. Cada curso é avaliado a cada três anos;
  • No Enade 2018, fizeram as provas mais de 460 mil estudantes de 8.821 cursos de 1.791 instituições – fazer a prova e preencher o questionário socioeconômico é condição para os estudantes se formarem;
  • O exame tem 40 questões no total, sendo que 25% são sobre a formação geral e 75% sobre o componente específico de cada formação. A nota final do participante varia de 0 a 100;
  • Os cursos avaliados foram os de bacharelado das áreas de ciências sociais aplicadas, ciências humanas e áreas afins, e os de tecnologia de gestão e negócio, apoio escolar, hospitalidade e lazer, produção cultural e design;
  • Do total de 463.242 participantes do Enade 2018, 127.385 eram estudantes de direito e 99.616 estudavam administração;
  • O Conceito Enade é um dos indicadores de qualidade da educação superior, e é calculado para cada curso a partir da média ponderada da nota de cada concluinte, considerando peso maior para a prova de conhecimento específico.

Rede privada é maioria

As instituições particulares têm a maior participação no ensino superior em número de matrículas e cursos. No Enade 2018, 84,8% dos participantes estavam matriculados em uma faculdade privada ou especial, e quase metade deles eram estudantes de direito ou administração.

Considerando os 392.243 participantes do Enade que estudavam em faculdades privadas ou especiais, só 37.461 (ou 9,5% do total) conseguiram tirar nota acima de 60 na edição de 2018 do Enade.

Já entre os 69.299 estudantes de universidades públicas (federais, estaduais ou municipais) que fizeram a prova, 16.138, ou 23,3% do total, tiraram nota a partir de 61.

Secretariado e jornalismo tiveram maior média

Considerando a nota média geral de cada carreira, que varia de 0 a 100, o curso de tecnologia de secretariado executivo teve a pontuação mais alta (53,2%), seguido do curso de bacharelado em jornalismo (51,2%).

Já os cursos de administração, ciências contábeis e ciências econômicas ficaram com as notas médias mais baixas: 38,4%, 37,1% e 36,7%, respectivamente.

Qualidade EAD x presencial

Os dados divulgados pelo Inep nesta sexta-feira mostram que os cursos na modalidade de ensino a distância tiveram desempenho semelhante, em termos relativos, aos cursos presenciais no Enade 2018. Embora o número total de cursos seja bem menor (563 cursos a distância contra 7.957 presenciais), a porcentagem de distribuição na escala de conceitos foi quase a mesma.

No caso do conceito máximo, porém, os cursos EAD tiveram ligeira vantagem: 6% dos cursos a distância avaliados tiveram conceito 5, contra 5,8% dos cursos presenciais.