Morador de rua compra kombi com dinheiro da reciclagem e passa a morar nela com medo de ser roubado em SP
São Paulo

Morador de rua compra kombi com dinheiro da reciclagem e passa a morar nela com medo de ser roubado em SP

  • Compartilhar
  • Compartilhar
  • Compartilhar

Quer receber notíticas em tempo real? Curta o Notícia Plus

Depois que sua Kombi 1985 quebrou, Jonas Manuel, de 56 anos, ficou sem seu principal instrumento de trabalho. Sem poder circular com seu veículo, o catador não conseguiu pagar o aluguel e teve que voltar a morar nas ruas da Mooca, Zona Leste de São Paulo, mas, desta vez, dentro da Kombi.

Há cerca de um ano, Jonas teve sua Kombi roubada na Cidade Tiradentes, também na Zona Leste. Dois dias depois, o veículo foi encontrado em péssimas condições. No início de julho deste ano, Jonas teve que sair de seu apartamento para conseguir arcar com os gastos dos pequenos reparos no motor da Kombi. Mas no último dia 26 de julho, o carro parou de vez e o trabalho de recolher recicláveis voltou a ser feito com carrinho de mão.

Com medo de roubarem seu veículo de novo, Jonas estacionou na Rua Barão de Monte Santo, no bairro da Mooca, e passou a morar dentro da Kombi.

"Ficar na Kombi é melhor que ficar na rua, mas não é a mesma coisa que uma casa. Você não tem um banheiro e cozinha", disse em entrevista ao G1.

Segundo o voluntário que ajudou Jonas, Bruno Saraiva, a compra da Kombi foi resultado de grande esforço e insistência do catador.

"Começou com carrinho de feira e depois uma carroça, aí ele me falou que queria comprar um carro. Eu desacreditei", explicou Bruno. "Ele juntou dinheiro da reciclagem e comprou a Kombi. Já faz três anos que ele está com ela", completou.

"Mesmo que a reciclagem não dê tanto retorno, eu encho o carrinho e vou vender, no momento é o que me dá um suporte. Eu estou no carrinho, mas eu estou defendendo meu dia a dia, almoçar e jantar", explica Jonas.

Hoje, a mudança deste cenário depende de uma vaquinha digital que voluntários montaram. A campanha de nome "Ajude o Jonas a comprar sua Kombi, seu único ganha pão" possui uma meta de R$ 28 mil e já atingiu R$ 6.215 em doações. Os objetivos da campanha são: três meses de aluguel, uma Kombi nova e a documentação completa do veículo.

Sob supervisão de Cíntia Acayaba